Designer católica cria card game com Orixás

Carolina Marins criou um card game para os Orixás.

Por Alessandro Valentim

Em um cenário com crescentes denúncias de intolerância religiosa, uma artista deu exemplo de harmonia entre as crenças. Carolina Marins formou-se em Design Gráfico com um trabalho de conclusão de curso voltado para a religiosidade afro-brasileira, embora seja católica desde criança.

Ela criou um jogo de cartas onde os Orixás são os personagens de batalha e seus elementos os poderes da disputa. O game possui uma apresentação breve de cada divindade e uma ilustração feita pela profissional.

Axé Cardgame.

‘’Fui batizada e crismada e desde então sigo a religião. Mas eu sempre acreditei que a fé vai muito além da religião, vai além do nosso entendimento e acho que por isso eu sempre respeitei muito todas as religiões, independente de qual seja ela. Porém, também acredito que um ponto crucial para decisão desse projeto foi pelo fato de minha tia, por parte de mãe, ser Mãe de Santo.’’

A ideia inicial era produzir um jogo com a temática da mitologia grega, porém Carolina pesquisou o mercado e concluiu que já existem muitos materiais baseados nessa cultura, o que não satisfazia seu grande objetivo: fazer algo diferente e relevante para si e para o próximo.

Algumas cartas do game.

‘’Em uma conversa que estava tendo com uma amiga da família, entrei em questionamento de por que não falar sobre a minha história? Por que não falar sobre a minha descendência? E foi daí que comecei a pesquisar sobre os Iorubás, a cultura e religião que eles trouxeram para cá quando foram escravizados pelo tráfico negreiro. Eu tive muita ajuda da minha tia e dos amigos dela na religião. Meu pai, que também é praticante, me apresentou algumas pessoas que me ajudaram no desenvolvimento do projeto.’’

Carolina acredita que a dinâmica do jogo pode ajudar no combate à intolerância religiosa, sendo a diversão uma arma poderosa contra o preconceito, prática que a designer deseja combater.

‘’Como eu não sigo a religião quis trazer o máximo de respeito possível. Nas cartas quis utilizar de uma forma simples uma dinâmica para as pessoas que desejam conhecer e nunca tiveram contato com a religião, conhecerem um pouco de cada Orixá e se interessarem em conhecer a religião, a fé e também eliminar um pouco desse preconceito enrustido que a sociedade infelizmente ainda tem muito.’’

Algumas cartas do game.

O jogo ainda não está disponível para venda, mas no que depender da artista será por pouco tempo.

 ‘’Futuramente quero continuar desenvolvendo esse jogo e trazer como se fossem baralhos novos de expansão, com as ferramentas dos Orixás, com figuras relevantes na história da religião, e mais algumas temáticas que serão desenvolvidas diante de muita pesquisa e estudo. Já tenho um orçamento com uma gráfica então se tiver uma demanda legal eu pretendo realmente produzir esse jogo e colocar ele disponível ao público. ’’

 

E você, está pronto para desafiar seus irmãos?