Como se conectar com a espiritualidade?

Foto reprodução.

Por Debyday Gipsy

Olá, caro(a) leitor(a).

Hoje eu venho trazer um tema, que com certeza você irá se interessar.

Uma das perguntas que as pessoas mais me fazem é “como se conectar com a espiritualidade de forma simples?” Antes de responder a essa pergunta é importante ressaltar que nem todos possuem alguma prática ritualística dentro de um templo religioso/espiritual, nem todos possuem uma mediunidade ostensiva, mas isso de forma alguma impede a conexão com a nossa espiritualidade.

Primeiramente, vamos deixar claro que todos somos médiuns, em menor ou maior grau. Somos seres encarnados vivendo uma experiência material, mas por sermos espíritos em essência, conseguimos captar frequências magnéticas do mundo espiritual. Por conta do nosso corpo físico ainda muito denso, criamos muitas barreiras e a nossa percepção extrassensorial diminui drasticamente. Por isso, nos cabe lapidar cada vez mais o nosso sexto sentido, a tão falada intuição, com o auxílio de práticas que ajudam a afinar o que eu gosto de chamar de Wi-fi mediúnico.

Muitas técnicas e terapias holísticas proporcionam além de outros tantos benefícios, sintonização da nossa intuição, como por exemplo a prática diária da meditação. Pode parecer difícil no começo, mas se fizermos todos os dias vamos condicionar o nosso cérebro a fazer uma pausa dos ruídos externos para que consigamos captar o que a nossa mente está querendo dizer. Outras práticas como Reiki, Barra de acess, Thetahealing entre outras, também ajudam a lapidar o diamante bruto que é a nossa glândula pineal, uma glândula no interior do nosso cérebro responsável pela nossa mediunidade.

O fato de estarmos atentos ao presente momento, a tudo que estamos fazendo, as conversas que estamos tendo, as sensações e os insights de situações cotidianas também nos torna mais despertos para percebermos os sinais que a nossa “antena” capta a todo momento do meio, mas por conta do instinto de sobrevivência não conseguimos perceber os detalhes mais sutis que estão a nossa volta. Se fôssemos mais atentos, com o passar do tempo começaríamos a perceber as sincronicidades do Universo e as nossas decisões seriam, sem dúvida, mais responsáveis.

Estar em conexão com nossos guias, com o divino, sem sombra de dúvidas é estarmos conectados conosco. Habita dentro de nós, uma versão muito sábia da nossa essência, o nosso Eu Superior, aquele nosso lado mestre que está em ressonância com os Orixás, com os Mestres Ascensos, com os deuses e deusas de todos os panteões. Não há dúvida que Deus, essa grande força cósmica, habita dentro de nós, pois somos feitos de Sua centelha. A grande questão e indagação, que lanço para vossa reflexão, queridos leitores, é por que nós procuramos fora o que já existe dentro de nós?

A Espiritualidade se faz presente a todo momento, pois todos somos um conectados para o propósito do Bem Maior. A grande interferência nessa sintonização é causada pelos nossos medos, angústias, culpas e outros sentimentos de baixa vibração que nos impede de nos conectarmos com o nosso divino.

Comece prestando atenção nos sinais que o Universo traz para você de forma sutil e amorosa. Em qualquer momento e em qualquer situação as respostas sempre estarão ao seu alcance, basta você acreditar no que o seu coração está dizendo. Parece clichê, mas o nosso chakra cardíaco é um dos grandes responsáveis pela captação das informações provenientes da nossa pineal. Por isso, podemos afirmar com segurança que a resposta sempre estará dentro de nós, basta silenciarmos.