Papo e Bênção: Pai Ramiro continua com caridade durante pandemia

Pai Ramiro com seu corpo mediúnico em trabalho de caridade/Foto retirada do Facebook do dirigente.

Por Alessandro Valentim

A maioria dos terreiros suspendeu as giras durante o período de isolamento social
como uma forma de evitar a propagação do novo coronavírus em suas casas.
Contudo, as dificuldades financeiras enfrentadas pelas famílias cresceram durante o
isolamento e consequentemente mais pedidos de ajuda chegaram e continuam
chegando às casas de axé. Pensando nisso, Pai Ramiro, dirigente da Tenda
Espírita Amor, Caridade e Humildade encontrou uma solução para prosseguir o
trabalho de ajuda ao próximo.
– Como estão sendo feitos os trabalhos de caridade com o terreiro fechado?
Devido ao isolamento social, o atendimento ao público se torna inviável, mas para
continuar com a caridade estamos arrecadando alimentos e doando à comunidade.
– Estão acontecendo giras internas?
Não. Eu, Pai Ramiro de Xangô estou zelando por todos os assentamentos junto ao
Pai Pequeno da casa e ao Pai Ogan, seguindo todos os protocolos de segurança.
– O que estão aprendendo com tudo isso?
Aprendemos que a união em prol da caridade se torna mais importante.
– Quando soube da sua missão como dirigente?

Pai Ramiro comemora suas obrigações/Foto retirada do Facebook do dirigente.

Com 5 anos de idade meus pais carnais tomaram conhecimento. Eu tomei
conhecimento aos 13 anos de idade quando fui iniciado na religião.
– Como se sente com a possibilidade de ajudar o próximo?
Sensação de dever cumprido. Fazer o bem faz bem.
– O que significa ser umbandista para você?
É um amor incondicional. Ser dirigente da casa de meu Pai Xangô não tem preço.
Xangô é o ar que respiro.
– O que Ramiro ensinou para Pai Ramiro e o que Pai Ramiro ensinou para
Ramiro?
Ramiro ensinou a praticidade ao Pai Ramiro e o Pai Ramiro ensinou a humildade.