Obsessão: superintendente da Ancine faz vista grossa para o estado laico

Por Átila Nunes 

Não é a primeira vez que um agente público se faz valer da50 autoridade para impor a sua fé religiosa, como aconteceu no recorte abaixo:

Foto: reprodução internet

Lembro-me de governadores aqui do Rio de Janeiro que constrangiam servidores com “convites” para cultos. É claro, que os que não iam, ficavam marcados.

 

Obsessão

Essa ideia fixa em atrair fieis parece uma obsessão, não importando que para isso corram o risco de serem processados por improbidade administrativa.

Eu e o vereador Átila A. Nunes vamos denunciar essa prática ao Ministério Público Federal, já que a Agência Nacional de Cinema – Ancine – é um órgão federal.