Vaquinha virtual busca doações para construção de nova sede de Umbanda no Rio

Foto: reprodução internet

Do pedido para iniciar as atividades de caridade, feito pela guia chefe, surgiu, em 2016, o Terreiro de Umbanda cantinho de Amor e Fé de Vovó Cambinda da Guiné, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Agora, a casa que atua com trabalhos espirituais, pede o auxílio do povo de santo para a construção de uma nova sede, maior e própria, com o objetivo de ampliar os atendimentos e receber a demanda que aumentou.

A dirigente do terreiro, Gel Vasconcelos, iniciou o trabalho designado, em um pequeno espaço da sua própria casa, garantindo a elevação da bandeira da Umbanda, mas agora o local ficou pequeno, em decorrência da chegada de mais médiuns e novas programações, sendo a capacidade atual de apenas duas giras por mês.

Terreiro de Umbanda Cantinho de Amor e Fé de Vovó Cambinda da Guiné

Para a manutenção do suporte às pessoas que procuram o templo de fé para curar suas dores físicas e espirituais, o Terreiro de Umbanda Cantinho de Amor e Fé de Vovó Cambinda da Guiné, abriu uma vaquinha online com o objetivo de arrecadar verbas que possam viabilizar a compra de um terreno.

A página criada em setembro, fica no ar até o mesmo período de 2022 e, por enquanto, recebeu R$ 330, o equivalente a 0.83 % do total previsto, que é R$ 40 mil.

Para participar dessa corrente de solidariedade, o link para doações é: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/compra-da-sede-propria-do-cantinho-de-amor-e-fe?utm_campaign=whatsapp&utm_content=705680&utm_medium=website&utm_source=social-shares

Programação

A próxima gira pública da casa, será em homenagem a Preto Velho e está marcada para o dia 2 de novembro, a partir das 16h.

Terreiro de Umbanda Cantinho de Amor e Fé de Vovó Cambinda da Guiné

Para a ocasião, quem comparecer, deve levar 1 kg de alimento não-perecível além de uma vela de 7 dias. Não é permitido o acesso de pessoas alcoolizadas ou utilizando roupas curtas, decotadas, rasgadas e escuras.

O terreiro fica na Travessa Macapá, 10, após o Largo do Bodegão.