“Ibeijada e o povo de Umbanda”, um poema de Átila Nunes

Hoje tem alegria!

Hoje tem alegria na minha Aruanda, hoje tem alegria!

No meu Pegí, vejo as crianças,

Vejo a Ibeijada…

Vejo Cosme, Damião, vejo Doum o terceiro irmão,

Vejo Crispim e Crispiniano, vejo Martinho e Martiniano,

Vejo Neuzinha, vejo Paulinho, vejo Alabá, vejo Pedrinho,

Irmão de uma família santa,

Mártires que escreveram com seu sangue as páginas da fé, na lei de Jesus!

Santos meninos, entidades de luz,

Filhos de Zambe, discípulos de Oxalá,

O Mestre que por todos nós sofreu…

E eu me ajoelho no altar dos meninos, pedindo agô;

Agô-yê p’ras crianças. Agô-yê p’ra Ibeijada no seu dia de festa

Saravá, Cosme, Damião e Doum!

Saravá os bacuros do seu Quatro Luas!

No meu Pegí, vejo também Senhora da Conceição – a gloriosa Mamãe Oxum!

A falange das águas desce no caricó para salvar as crianças!

Saravá Crispim e Crispiniano!

No meu Pegí, vejo também o guerreiro dos campos de Humaitá!

É São Jorge, é seu Ogum Beira Mar que vence batalhas, que vende demanda!

Vejo todas as falanges do Deus da guerra na festa da Ibeijada:

Ogum Rompe Mato, Ogum de Lê, Ogum Yara, Ogum Megê!

Saravá, Ogum! Ogum-nhê! Saravá o protetor dos fracos e dos angustiados!

Vejo também São Miguel na gloriosa falange de Ogum Yara!

Salve os Arcanjos São Miguel, São Rafael e São Gabriel!

Hoje tem alegria! Hoje tem alegria na minha Aruanda, hoje tem alegria!

A Ibeijada brinca contente!

E eu saravo sua gente, saravo sua banda!

Na gira das crianças, vejo também a querida Nanã – Senhora Santana, a Santa das Santas!

Martinho e Martiniano festejam no arerê,

Saravando Nanã, Nanã Buruquê!

Hoje tem alegria! Hoje tem alegria!
No meu Pegí vejo a Ibeijada!
Vejo, também, meu Pai Xangô!
Caô, meu Pai, Caô Cabe en sil’obá!

E eu saravo a falange da pedreira e da cachoeira:

Xangô Alafin, Xangô Agodô, Xangô Alufã, Xangô Abomi, Xangô Aganjú, Xangô Caô!

Caô cabê en sil’le! Saravá, Xangô!

Hoje tem alegria! Hoje tem alegria!

No meu Pegí vejo o povo de Luanda, povo de Angola, povo do Guiné e da Kimbanda!
Vejo as almas, vejo as almas santas e benditas!
Vejo meus Pretos Velhos descendo no arerê,
Na festa maior, na festa da Ibeijada!
Saravá Pretos Velhos, amigos! Protetores das crianças!

Saravá, Pai Benedito! Saravá, Congo Domingos! Saravá, Chico Mineiro!

Saravá, Pai Anacleto, Pai João Bangolê! Saravá Pai Joaquim D’Angola!

Saravá, Pai José! Saravá, Pai Miguel da Aruanda! Saravá, meus Pretos Velhos!

Saravá, Vovó Conga, Vovó Chica! Saravá, Vovó Joana!

Saravá, Vovó Monjola, Mãe Firmina! Saravá, Maria Redonda!

Saravá, minhas queridas Pretas Velhas!

Saravá, protetoras da minha banda, madrinhas do meu camutuê!

Hoje tem alegria! Hoje tem alegria no terreiro de Oxalá!

Vejo a Ibeijada girando, saravando meu Congá!

Vejo Cambono e Ogã, vejo Yaô, vejo Samba e Babalaô!

Vejo Ekedi, Jabonã, vejo Yabá e eu saravo meu Pai: Atotô!

No meu Congá, vejo também São Sebastião e sua falange poderosa!

“Ele é Oxóssi! Ele é Caboclo!

“Na sua flecha tem pena dourada!

“Na sua mão está o seu bodoque!

“Seu capacete brilha na alvorada!

Saravá, Oxóssi, rei da mata!

Iruré Irurá, Tupã!

Saravá, suas falanges de bravos guerreiros!

Saravá, Oxóssi Pena Verde, seu Arruda! Saravá, Araribóia!

Saravá, Folha Seca, seu Arranca Toco!

Saravá Pena Azul, salve seu Vence Demanda, seu Pena Branca!

Saravá, seu Saquarema, seu Aymoré, Salve Tubiá da Cobra coral!

Saravá, seu Ventania, seu Sete Flechas, Saravá, seu Raio de Luz!

Salve seu Cobra Verde, seu Sete Montanhas, Saravá, seu Saracutinga!

Hoje tem alegria! Hoje tem alegria na minha Aruanda, hoje tem alegria!

No Arerê da Umbanda vejo a Ibeijada gloriosa!

Hoje é dia de festa! Saravá, Cosme, Damião e Doum!

No meu Caricó, sinto as vibrações da Iemanjá – a Deusa das Águas!

Agô-yê, Mamãe Iemanjá!

Agô-yê p’ra crianças! Saravá, Mamãe Iemanjá! Odôlf’yaba!

Vejo também a falange de Oxumaré! Ai iê ieu, Mamãe Oxum!

Vejo Iansã na falange de Santa Bárbara! Êpa, Rei Iansã!

Saravá, Iansã! Saravá, moça rica!

Salve Janaina! Saravá Cabocla Tupiára! Saravá Jandira! Salve Cabocla Jurema!

Salve o povo da mata, povo do mar, salve o povo da cachoeira!

Hoje tem alegria! Hoje tem alegria!

Na festa da Ibeijada saravo o povo do Oriente – filhos de Zartu e Kaminalôa!

Saravá, todas as linhas que descem no terreiro da Umbanda, na festa maior, na festa da Ibeijada!

Na graça de Zambe, na graça de Oxalá, na graça de Olorum, Saravá, meu Pai!

Saravá, meu Guia Maior! Saravá, Ibeijada!

Saravá, Cosme, Damião, Doum! Saravá, Crispim, Crispiniano!

Saravá, Martinho e Martiniano! Saravá, todas as crianças!

Hoje tem alegria! Hoje tem alegria na minha Aruanda!

Hoje tem alegria! Saravá, Ibeijada! Saravá, sua Banda!