Ato pela tolerância promove corrente religiosa nas ruas da Baixada Fluminense

1º Caminhada Inter-Religiosa Foto: Erick Rianelli / Grupo Globo

A 1º Caminhada Inter-Religiosa da Baixada Fluminense, levou cerca de 1500 pessoas para as ruas da região, ontem.

A estimativa é dos organizadores do movimento que reuniu desde representantes de religiões de matriz africana, até católicos e evangélicos.

A Comissão de Combate à Intolerância Religiosa também esteve presente e reforçou o combate ao mito de que a fé difundida tanto na Umbanda quanto no Candomblé, por exemplo, está ligada ao culto de demônios.

Wiccas, budistas, ateus e agnósticos encorparam o protesto e se juntaram ao movimento que ocupou uma das pistas da Via Light para pedir mais respeito às religiões, independentemente da vertente.

Os casos de intolerância são recorrentes no Rio de Janeiro, principalmente na Baixada, que reúne o maior número de casas de axé do estado.

Na última quinta-feira, um terreiro de Candomblé teve objetos destruídos no bairro Parque Paulista, em Duque de Caxias, na mesma região. Traficantes são apontados como os autores e a polícia divulgou que já identificou os criminosos que teriam invadido o local e obrigado uma funcionária da casa a quebrar peças que representavam os Orixás.

Terreiro depredado em Duque de Caxias. Foto: Grupo Globo

 

Os homens estavam armados e teriam ameaçado incendiar o terreiro. O caso corre em sigilo depois de ser registrado na Decradi, a Delegacia de Combate a Crimes Raciais e Delitos de Intolerância.