Exposição no Museu Afro Brasil destaca religiões de matriz africana

Parte do núcleo "As Religiões Afro-Brasileiras". Foto: site Museu Afro Brasil

Entre os seis núcleos da mostra de longa duração do Museu Afro Brasil, em São Paulo, está o chamado “As Religiões Afro-Brasileiras”, considerado como um espaço em destaque pela beleza e representatividade dos orixás, além de outras entidades cultuadas no Brasil, como os santos.

As pessoas que simpatizam ou seguem a fé através da Umbanda e Candomblé, por exemplo, que moram ou estejam em visita na capital paulista, podem conferir no local, peças importantes como vestimentas específicas, instrumentos musicais, pinturas, gravuras, esculturas, fotografias e a representação dos próprios orixás.

Juntamente com os outros núcleos denominados de África: Diversidade e Permanência; Trabalho e Escravidão; O Sagrado e o Profano; História e Memória e Artes Plásticas: a Mão Afro Brasileira, o número de obras chega a 6 mil, entre objetos que foram reunidos no século XV e os produzidos atualmente.

Mais de uma década

 O Museu Afro Brasil completa 15 anos, em 2019 e, por isso, está com outras exposições temporárias, inclusive em homenagem à cidade de São Paulo. 

O espaço que fica no Parque Ibirapuera, Avenida Pedro Álvares Cabral, com acesso pelo portão 3, funciona de terça-feira a domingo, de 10h às 17h. 

A entrada custa R$ 6, a inteira, mas aos sábados o acesso é gratuito e neste mês de junho, há a disponibilidade de agendamento de visitas em grupos espontâneos. 

Quem preferir pode fazer um passeio mediado, durante todos os períodos. Mais informações podem ser consultadas no site www.museuafrobrasil.org.br ou pelo telefone: (11) 3320-8900.