“Vende-se” axé!

“Recentemente uma mulher passou aqui pela nossa porta, por acaso, com muitos problemas espirituais e de saúde. Ela confessou que só pensava em cometer suicídio, então falamos sobre o Congá que a gente frequenta. A mulher seguiu o conselho e hoje, em tratamento, conseguiu se reerguer e seguir a vida”. Essa é apenas umas das muitas histórias que o comerciante Luís Felipe acompanha e vivencia, na sua pequena loja, em Uberlândia, Minas Gerais.

Luís Felipe Franco, filho de sangue e também de santo da própria mãe, que na religião atende por Mãe Úrsula de Xangô, tem 23 anos é natural de Jundiaí, em São Paulo, mas mora na cidade mineira e abriu a Loja do Axé, há quase um ano, em parceria com a esposa Thalia Stefani Moreira, de 21.

Thalia e Luís Felipe

No início, em julho de 2018, o pequeno espaço vendia apenas velas, hoje, ambos seguidores da Umbanda, já ampliaram a comercialização e disponibilizam diversos produtos voltados para os rituais da religião e também do Candomblé, como guias, banhos, incensos e ervas, que inclusive são os mais procurados no local. Mas as prateleiras são bem democráticas, com a oferta de miçangas, pólvoras, ferramentas em barro, peças personalizadas para entidades, cachimbos e tabacarias.

A ideia de abrir a empresa surgiu de um conjunto de sonhos, emoções e realidade.  Thalia tinha vontade de começar um negócio próprio; mas ainda teve a motivação dos dois, pela dificuldade em encontrar os produtos religiosos na cidade e também a necessidade de espalhar mais conhecimento e menos preconceito em relação aos objetos utilizados para o exercício da fé.

Com o cenário definido, ficou fácil decidir o nome como Loja do Axé. A escolha se refere de fato ao significado que a palavra propõe: força, energia e felicidade. Luís justifica que, “quando falamos a expressão axé para alguém, nós estamos emanando sentimentos bons, sendo assim essa a melhor escolha que poderíamos fazer, combina com o que desejamos”.

Para os dois, trabalhar com os produtos voltados para a Umbanda e o Candomblé é um aprendizado diário já que tem pessoas que procuram a empresa e desmistificam a espiritualidade, outras que só querem conversar sobre as peças e a fé, enquanto algumas visitam o espaço apenas por curiosidade e para conhecer.

Por enquanto, o casal toca, sozinho, a Loja do Axé, em Minas Gerais, que é o terceiro estado com mais centros de Umbanda do Brasil, perdendo apenas para a Bahia e o Rio de Janeiro. Eles atendem, organizam e gerenciam tudo, mas o plano é que em breve possam abrir outras unidades e investir em colaboradores.

Luis prefere não se dar rótulos e diz ser “um médium em desenvolvimento e evolução diária”. Já Thalia reforça que encontrou suas raízes na Tenda de Umbanda Pai Jacob de Aruanda. Os dois, jovens, esperam o primeiro filho e mandam uma mensagem para o futuro do axé: “jamais desistam das suas religiões, por mais que seja difícil passar por todas barreiras, lutas e intolerância religiosa, vamos nos manter sempre de pé, para espalharmos amor por onde formos”.

Ah! E quem estiver em Uberlândia, pode fazer uma visita à loja que fica na Rua das Valsas, número 499 B, Guarani.