Centro Espírita realiza curso sobre as ervas nos rituais da Umbanda e Candomblé

Curso de ervas para as religiões de matriz africana

Tanto no Candomblé quanto na Umbanda o uso das ervas é específico e cada uma delas é voltada para um fundamento ou determinado Orixá. Ao contrário do que se imagina, de que a manipulação se resume a mistura na água fervida, nem de longe esse é o único processo. Sejam ervas positivas, negativas ou neutras; para um banho de fixação ou descarrego, cada uma tem um objetivo.

Manjericão, Alfazema, Malva-Branca, Jasmim, Capim-Limão, Pata-de-Vaca, Arruda, Amoreira e Tiririca, são apenas algumas da extensa lista de opções de ervas usadas em rituais de religiões de matriz africana.

Mas é muito importante que o uso seja correto durante a realização, por exemplo, de sacudimentos, defumações e banhos orientados pelos Guias de Luz e Axé. Para reforçar isso, o Centro Espírita de Umbanda Cabana Pedra Verde vai promover o curso “Ervas no Ritual da Umbanda e Candomblé”.

O evento está marcado para este sábado, dia 8, entre 9h e 17h, na sede da casa, em Cascadura, na zona norte do Rio de Janeiro. Na oportunidade, os interessados vão entender mais sobre esse universo, a preparação, se há hora certa, o que cada uma representa e a escolha das plantas frescas.

As ervas são consideradas como mágicas pelas religiões afro e nunca são usadas com fins medicinais, fitoterápico ou por ingestão. O povo de santo se refere a elas como peças fundamentais e a expressão proferida no axé “Kosi Ewé, Kosi Orixá”, significa “sem erva, sem Orixá”.

O material e a refeição estão inclusos no pacote do curso. Mais informações, valores e inscrições no telefone: 97157-8388

Centro Espírita Cabana Pedra Verde

A Yalorixá Dayse Freitas Aiepeamana comanda a casa que tem como mentor o Caboclo Pedra Verde. Fundado em 26 de julho de 1995, o Centro é filiado à FBU, Federação Brasileira de Umbanda.