A regência de Ogum em 2019, pelos olhos de Mãe Estela

Um problema na coluna ligou o destino de Maria Estela Furtado Carvalho à Umbanda, em 2003. O sucesso na recuperação da saúde foi tão forte que ela se interessou pelo universo da religião e 10 anos depois inaugurou o Centro Espírita de Umbanda Treze Mares de Ogum, em 22 de outubro de 2013.

Não foi só o nome que mudou, o propósito também. Hoje ela é conhecida em Teresópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, como Mãe Estela de Ogum e faz questão de lembrar a trajetória, que mudou a sua vida: “Em abril de 2005 fiz minha obrigação de santo, que é a primeira dentro da hierarquia que temos no nosso ritual, e tive a honra de receber como chefe de cabeça, Ogum Beira Mar”.

Mãe Estela de Ogum

 

O orixá, que é considerado como forte, sério, justo, disciplinador e um pai de fato, pediu que ela abrisse uma casa voltada para a caridade. O direcionamento foi seguido e, atualmente, Mãe Estela trabalha na Linha da Umbanda juntamente com o Oriente ajudando pessoas de todas as idades, a partir da doação de roupas, brinquedos e alimentos.

O Centro dá suporte principalmente para os bebês, com uma entrega média anual de 50 enxovais completos. Além disso, são realizadas campanhas para o recolhimento de leite e fralda (infantil e adulto), cadeiras de rodas, muletas e etc.

Toda atuação é abençoada por Ogum que, regente do ano de 2019, traz transformações, seriedade, força e avanço em tecnologias, influenciando na prosperidade da casa. Para Mãe Estela, o orixá é mais do que um símbolo e por ser o pai de cabeça, faz ela se sentir encorajada ainda mais nesse ano: “Ele é minha vida e me faz trabalhar cada vez mais de forma séria. A força dele como regente me permite evoluir e alcançar novos ensinamentos espirituais”.

Doações reunidas pelo Centro

Para cada momento, há uma característica do orixá que se encaixa. Em dias de festa, por exemplo, ele brinca com os médiuns da casa, ri e deixa o ambiente harmônico, mas quando o assunto é sério, o guerreiro se mostra firme e não aceita brincadeiras. Estela de Ogum reforça que o objetivo dele é sempre ajudar, inclusive os animais.

Durante a conversa, quando foi perguntada como é ser filha de Ogum e o sentimento para esse ano, Mãe Estela foi direta: “Não é fácil a cobrança é forte. Basta trabalhar com honestidade”.  Ela também fez questão de mostrar as portas abertas da casa, de onde ninguém sai sem ser atendido. Os Oguns do Centro, diferentemente de outros rituais da Umbanda à base de passes, dão consultas, compartilham conhecimentos diretos e trabalham em cirurgias espirituais.

O Centro Espírita de Umbanda Treze Mares de Ogum fica na Estrada José Gomes da Costa Junior, número 2475, Posse, Teresópolis. Apesar do trabalho voltado para Ogum, também lida com outras entidades: Preto velho, Caboclo, Xangô, Iemanjá, Nanã, Iansã, Oxum, Ciganos, Exús, Bombojiras, Tranca rua e Malandros.

Centro Espírita de Umbanda Treze Mares de Ogum