A ignorância que mantém os seres humanos separados

Foto: Reprodução da Internet.

Muitos brasileiros acham que, com a mudança de poderes em Brasília, a expectativa seja de mudanças significativas a partir de agora, no aspecto econômico.

Particularmente, eu torço para que haja mudanças em outras áreas, mas, pela pinta, está difícil.

Um tal de “pastor” Edivaldo Freitas foi ao Palácio do Buriti, sede do governo do Distrito Federal, para oferecer – em nome de Deus – bênçãos ao novo governador Ibaneis Rocha Barros Junior e orar contra a “macumbaria e perseguição” religiosa na capital do país.

Para registrar o momento, o pastor Edivaldo, que foi coordenador de campanha de Ibaneis Rocha em Sobradinho, fez um vídeo onde aparece orando contra “todo espírito de feitiçaria, macumbaria e perseguição” e pedindo a sabedoria de Salomão para o atual governador do Distrito Federal.

Só que o “pastor” Edivaldo não esperava a repercussão do seu vídeo e correu para apagá-lo das redes sociais. Só que foi tarde demais.

Na postagem, o “líder” religioso descreve sua iniciativa:

“Estivemos em todas salas do palácio orando”, escreveu o pastor. “Invocamos as bênçãos de Deus para o nosso governador Ibaneis, presenteamos nosso governador com um exemplar da Bíblia Sagrada, que Deus dê sabedoria de Salomão para nosso governador do Distrito Federal”.

Por isso, afirmo que os fanáticos chamam os que não compartilham de sua fé de hereges, amaldiçoando-os para que ardam na fogueira.

Esquecem-se que hereges, contudo, são os que acendem a fogueira.

Aliás, preconceitos economizam muito tempo porque são formados por opiniões sem fatos. São correntes forjadas pela ignorância para manterem os seres humanos separados.

Preconceitos têm mais raízes do que princípios, já que eles se baseiam em opiniões não submetidas à razão.