Quando não há limites para ajudar o próximo

Casa comandada por Tata Luis Eduardo se dedica a variadas ações sociais

Tatá Luis Eduardo e seus filhos de Santo. Foto: Arquivo Pessoal/Facebook

A caridade é um dos pilares de sustentação da Umbanda. Entretanto, este ato de amor ao próximo não deve ser limitado ao espaço da casa de axé. Afinal, por maiores que sejam as dificuldades para praticar o bem, não há fronteiras. E é por isso que a Missão”A Centelha Divina – Missão Religiosa Umbandista”, da Casa do Caboclo Ubirajara, em Olaria, na Zona Norte do Rio, segue transpondo suas marcas através de projetos sociais.

Comandada há 11 anos por Tata Luiz Eduardo, de 48 anos de idade, a casa promove projetos sociais desde quando foi fundada. Atualmente atendem crianças de comunidades do entorno oferecendo orientações de saúde, educacionais, morais e espirituais. Além disso, está em fase de desenvolvimento um projeto que vai oferecer aulas de capoeira.

A iniciativa que tem como objetivo atender crianças e jovens entre seis e 19 anos está em busca de mestres voluntários. A casa também pretende criar uma creche e um orfanato e, para isso, contam com o apoio de sócios colaboradores que fazem parte de um programa de contribuições com qualquer valor.

“Os contribuintes são contemplados com alguns benefícios como consultas grátis na rede ACMERJ e descontos em algumas óticas, esta é a forma que encontramos de retribuir o apoio que recebemos de nossos sócios colaboradores”, destaca.

Além dos projetos sociais dedicados às crianças e os jovens, o terreiro também possui um grupo de ação social que presta auxílio a famílias em situação vulnerável, através de visitas, onde são entregues cestas básicas e roupas. As pessoas beneficiadas pela iniciativa passam por uma triagem e, de acordo com a necessidade são incluídas no plano.

A ação filantrópica é realizada é realizada mensalmente. A equipe também atende todos os meses asilos carentes em diferentes regiões da cidade, os itens necessários para a manutenção do projeto são divulgados mensalmente na fanpage da casa de acordo com a demanda do local.

“As instituições que visitamos não são determinadas, levamos auxílio para aquelas que estejam enfrentando dificuldades naquele momento”, explica.

O Projeto Gotas de vida por sua vez, acolhe gestantes carentes de recursos financeiros e acontece de acordo com a demanda de participantes, nele as futuras mamães recebem apoio tanto físico, quanto espiritual. Após passarem pela triagem, as beneficiadas recebem orientações de saúde com o auxílio de enfermeiros voluntários, cuidados maternos, e tratamento espiritual, através de palestras que ocorrem regularmente.

Para receber os benefícios durante todo o período, as participantes precisam comparecer a um número mínimo de encontros e também devem comprovar as idas ao pré-natal. Quando possível também são oferecidas aulas de artesanato e outros trabalhos manuais, para que após o nascimento da criança a mãe tenha uma forma de obter uma fonte de renda. No final da gestação a mãe ganha um enxoval para o bebê e durante os primeiros meses o projeto faz um acompanhamento.

O sacerdote ainda pretende implantar outros projetos sociais além dos que já são promovidos pelo templo e dos que estão em processo de desenvolvimento. Para Tata Luiz, a prática da caridade além da gira é uma maneira de complementar o bem que já é oferecido nos trabalhos espirituais.

“Faz parte do nosso crescimento a gente exercitar esse tipo de atividade de uma forma desinteressada, visando o bem- estar do próximo, pois afinal de contas essa é uma forma de colocar em prática o que nossos guias nos ensinam. O ajuda ao próximo é a representação máxima de tudo que nossos guias nos ensinam. Ser Umbandista e não desempenhar esse papel é ser um umbandista incompleto”, finaliza.

Para mais informações sobre doações, basta acessar a fanpage e o site da Missão, ou ainda, a fanpage da Casa.

*Estagiário de Redação supervisionado pela jornalista responsável Íris Marini.