Pretos-Velhos, um exemplo de humildade e sabedoria

Conheça uma das linhas que sustentam a Umbanda

Entidade da linha de Pretos-Velhos e suas ferramentas de trabalho Foto: Henrique Esteves

Quem vai a um terreiro de Umbanda pela primeira vez e se depara com o arquétipo fragilizado característico dos Pretos-Velhos, inicialmente não faz ideia da grandeza que estes espíritos possuem por trás da roupagem com que se apresentam. Mas, com o passar do tempo e a convivência com a espiritualidade, é impossível não se encantar com a imensa sabedoria que estas entidades possuem.

Por representarem o arquétipo do negro africano escravizado em terras brasileiras, os Pretos-Velhos são reverenciados no dia 13 de maio,  data em que se comemora a abolição da escravidão, ocorrida em 1888. Apesar desta relação, nem todas as entidades que se apresentam com esta  roupagem de fato tiveram alguma encarnação como escravos, mas impreterivelmente todas elas possuem elevado grau de evolução espiritual. Junto com os Caboclos e as Crianças/Ibejadas formam a principal tríade que sustenta a Umbanda.

Carinhosamente chamados de vovôs e vovós, a linha de Pretos-Velhos, não só, é detentora de grande sabedoria, mas também é um grande exemplo de humildade, paciência e amor ao próximo, tendo muito a ensinar aos encarnados. Portanto, são grandes conselheiros para aqueles que se encontram em momentos de grande dificuldade e precisam de uma orientação. Além disso, em seus trabalhos fazem uso de ervas, e geralmente as manipulam para benzer os consulentes, também recorrem ao fumo e através da fumaça do cachimbo eliminam os maus fluídos.

Além do fumo e das ervas, é muito comum que, durante seus trabalhos, os Pretos-Velhos façam uso de vela, pemba e terço para realizarem suas rezas. Trabalham sob a irradiação de Obaluaê e atuam junto à Linha das Almas. Em suas oferendas, apreciam elementos como Bolo de Fubá, Café sem açúcar, Canjica, Pipoca sem sal, Arroz doce, entre outros.Na data em que são homenageados, geralmente, as casas preparam uma Feijoada.

Em meio a tanta humildade e sabedoria, é impossível não tirar nenhum aprendizado ao lidar com estas entidades que, em sua essência, trazem tudo aquilo que a Umbanda prega em sua ideologia. Mais do que aprender a  lidar com o próximo, a humildade dos Pretos-Velhos levam o filho de fé a refletir sobre sua própria postura como ser humano e como médium. Afinal, apesar da imensurável sabedoria, a simplicidade é um dos traços que mais marcam a linha dos Pretos-Velhos.

*Estagiário de Redação supervisionado pela jornalista responsável Íris Marini.