Marajoara: arte mais antiga do Brasil e das Américas compõe peças de assentamento e outros ritos

Há oito meses no mercado, Barro Maraganju mantém tradição das peças de cerâmica

É conhecida por arte marajoara o conjunto de artefatos, sobretudo a cerâmica, produzida por antigos habitantes da Ilha de Marajó, no Pará. Foto: Reprodução de Internet.

A vontade de duas adeptas do Candomblé de nação Jeje de comercializar peças de cerâmica que fujam do comum foi o que deu origem à Barro Maraganju, uma loja especializada na venda de peças feitas em arte Marajoara, tipo de cerâmica originada no trabalho das tribos indígenas da ilha brasileira de Marajó, em Belém, no estado do Pará. O negócio fica no bairro de Miguel Couto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. É nesta mesma localidade que se situa o Ilê Axé Ayala, do qual as sócias Bianca Costa e Donè Flaviana de Oxum fazem parte.

A Barro Maraganju comercializa peças como quartinhas, portões, ibás, assentamentos, panelas, jarras, alguidares, talhas, entre outros. A produção fica por conta de fornecedores que recebem a demanda, enquanto a loja apenas vende. O comércio surgiu há cerca de oito meses e, de acordo com Bianca, a inspiração veio da vontade de criar peças para assentamentos com algum diferencial.

“Nossa ideia é conseguir fugir do padrão de Marajoara que geralmente encontramos no mercado”, afirma a candomblecista, que também pratica preços mais acessíveis em comparação à concorrência como forma de se estabelecer no mercado.

A Marajoara é a arte de cerâmica mais antiga do Brasil e das Américas. A confecção do item é demorada e passa por um longo processo, onde primeiro a peça de barro é feita e, em seguida, passa pelo processo de secagem. Feito isso, a obra chega ao ponto ideal para ser riscada – os riscos são o detalhe principal, depois a cerâmica é submetida a mais um período de secagem. A partir dessa etapa, o objeto é inserido em um forno a lenha onde fica por três dias. O resfriamento dura mais um dia ainda dentro do forno. E por fim, após esfriar totalmente, a peça artesanal finalmente vai para a pintura. Por conta da complexidade do processo, a comerciante ressalta que as encomendas de produtos personalizados precisam ser feitas com antecedência de, no mínimo, 30 ou 40 dias.

“É um trabalho demorado que demanda um tempo considerável, já que procuramos oferecer peças diferenciadas para o nosso público”, explica.

Bianca afirma que, desde que surgiu, o negócio vem crescendo, mas ainda é apenas um complemento para se sustentar.

“A loja ainda não é a minha principal fonte de renda, mas está caminhando para que se torne, pois o negócio está dando muito certo”, avalia.

Não há atendimento fora do estado do Rio de Janeiro, mas a ampliação do negócio já está sendo estudada pelas duas sócias. Abrir um comércio maior também está entre os planos de Bianca e da Yalorixá Flaviana. No mês de junho, estão previstas promoções com descontos de 30% a 40% de desconto em qualquer peça para comemorar o aniversário de um ano de fundação. E não é só em época comemorativa que a Barro Maraganju oferece facilidades para seus clientes. Assentamentos completos sempre contam com descontos especiais.

As encomendas podem ser feitas através dos perfis no Facebook, pelo WhatsApp (22) 97401-7366, ou pelo e-mail barrosmaraganju@gmail.com.

Leia também: 

Axé em forma de pequenas obras de arte

 

*Estagiário de Redação supervisionado pela jornalista responsável Íris Marini.