A Umbanda e os Caminhos da Fé

Meu Saravá fraterno a todos os irmãos e irmãs umbandistas!

Há um ditado popular que diz o seguinte: “A Fé remove montanhas”. É completamente procedente, porque, com Fé conseguimos coisas que, em dado momento, nos parecem inimagináveis. Porém, é preciso ressaltar, também, que a Fé não deve ser um instrumento para obtenção dos nossos desejos. Teremos sempre, com Fé, aquilo que Deus nos reserva. É importante compreendermos isso!

Sem Fé, não levantamos da cama pela manhã para tomar café, porque, inseguros e sem autoconfiança, não nos movimentamos, receando não possuirmos o equilíbrio necessário para que possamos chegar até onde devemos. Eis, então, uma palavra fundamental para que a Fé possa se manifestar de forma saudável em benefício da nossa evolução: equilíbrio.

Desequilibrados, não conseguimos caminhar, nossos passos ficam completamente prejudicados e acabamos nos estagnando. O desequilíbrio ativará em nós o polo oposto da Fé, que é o medo. Com medo, nos manteremos prostrados, vendo os dias e a vida passarem e não cumpriremos com as tarefas que nos são colocadas por Deus para a continuidade da nossa caminhada evolutiva neste mundo material.

Bem, voltemos ao nosso primeiro ato diário: logo cedo, pela manhã, com Fé, confiança e totalmente destituídos de medo, levantamo-nos, fazemos nossa higiene pessoal, em seguida, nos abastecemos com uma bela refeição matinal e partimos para as nossas atividades do dia. Seguimos cumprindo com tudo o que nos é necessário, tendo na Fé (sempre com muita confiança) a mola propulsora da caminhada e, por consequência, da vida.

Esta descrição tem por intenção nos levar a uma reflexão e também nos mostrar que a Fé é o sentido básico e primal da vida. Por que, sem este predicado de Deus, não conseguimos caminhar. Então, a Fé é uma qualidade divina muito mais do que ampla, infinita, que nos abraça e nos conduz, a não ser que paralisemo-nos neste sentido.

Mas, em um texto que pretende falar de Fé para umbandistas, onde está o aspecto religioso? Bem, insistimos em afirmar que a Umbanda é uma escola evolutiva que se coloca a nós, seus adeptos, como um veículo direcionador da caminhada espiritual e material, afinal, somos espíritos encarnados vivendo uma vida de aperfeiçoamento moral e consciencial nesta realidade material. Agora, respondendo: o aspecto religioso, no caso da Umbanda, está em todos os movimentos praticados por nós, os umbandistas. Religamo-nos com Deus o tempo todo!

Os rituais religiosos devem servir para manterem nosso fio de ligação com nossa Origem (Deus) vibrando… coloridos e iluminados. E este aspecto ritualístico nos trará a força necessária para que, como servidores da Criação, possamos contribuir minimamente para a evolução Dela. Na Fé, temos o nosso Sagrado Pai Oxalá como o Orixá condutor deste aspecto, a divindade principal no enredo da nossa religião.

Nosso Amado Pai da Fé, o Senhor Oxalá, é o Poder de Deus que irradia suas vibrações cristalinas o tempo todo, banhando-nos na Fé, para que com esta qualidade possamos seguir nossas caminhadas e cumprir com nossas tarefas. O Senhor do Branco, nosso Pai Oxalá, nos estende seu tapete o tempo todo para que possamos caminhar com firmeza, confiança e Fé.

Este simbolismo quer nos mostrar que nossa Fé em Oxalá, nosso Pai, pode nos levar muito longe. Mas também quer dizer que a religiosidade, como um caminho da Fé, se mostra na Umbanda de forma clara e límpida a todos aqueles que queiram viver e evoluir com ética, amor no coração por Deus e por tudo o que Dele/Dela advém.

Mas, se tenho Fé, sou religioso (a), porém, ajo sem ou com pouca ética no meu dia a dia, em família, no trabalho etc. É importante esta questão! Vivendo assim no meu dia a dia, onde está, de fato, a minha religiosidade? Onde está a minha fé?

Muitos podem ser os caminhos da Fé na Umbanda, que sempre partirão das irradiações e vibrações cristalinas do nosso Pai Oxalá, podendo, até mesmo, passarem por outro Orixá a fim de que cheguem a nós ou por guias espirituais graduados nos mistérios que se manifestam na nossa religião. Mas, se os caminhos são variados, o ponto de chegada é comum a todos eles: uma vida espiritual (aqui ou na realidade etérica), baseada na Fé, com muito amor, ética, respeito, tolerância e conhecimento.

Assim, os caminhos da fé na Umbanda podem fortalecer cada vez mais nossa jornada evolutiva. Que, com muita Fé em Deus, no Pai Oxalá e em todos os Orixás e guias espirituais, possamos crescer mais e mais consciencialmente a cada dia!

Fiquem com nosso abraço fraterno!