Primeiro Diálogo Inter-Religioso do Rio celebra diversidade Religiosa no Santuário do Cristo Redentor

Plano e o Conselho Estadual de Defesa e Promoção da Liberdade Religiosa são apresentados

Crédito das fotos: Henrique Esteves /Divulgação.

A Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos (SEDMHI), em parceria com a Arquidiocese do Rio de Janeiro, realizou no último dia 23, o 1º Diálogo Inter-religioso do Rio, no Santuário do Cristo Redentor para apresentar o Plano Estadual de Promoção da Liberdade Religiosa e o Conselho Estadual de Defesa e Promoção da Liberdade Religiosa (CONEPIR). O evento faz parte do calendário de atividades da SEDHMI em comemoração ao Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, celebrado em 21 de janeiro.

No encontro, foi apresentado o Plano e o Conselho Estadual de Defesa e Promoção da Liberdade Religiosa (Conepir). Representantes do Candomblé, Umbanda, Islamismo, Catolicismo, além de líderes protestantes, judeus e hare krishnas marcaram presença no Corcovado e discursaram a favor da paz e da harmonia entre as religiões. Membros do Ministério Público Federal e do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro também estiveram por lá.

“O plano é um marco no estado do Rio de Janeiro para que possamos institucionalizar as políticas públicas para dar garantia ao cidadão de que a sua crença será respeitada, em todos os locais, inclusive no atendimento público. Os servidores devem respeitar a liberdade religiosa. O direito de cada individuo professar a sua crença é um dos mais básicos dentro de uma comunidade. Nós queremos construi

r uma sociedade que respeite a fé do próximo, e eu tenho certeza que nós chegaremos em um momento onde a fé de cada um será respeitada” explica o secretário de Direitos Humanos Átila Alexandre Nunes.

Com caráter permanente, o projeto contém ações programáticas e recomendações, a fim de aplicar o princípio da laicidade do Estado, com as garantias fundamentais de liberdade de crença e culto, tanto nos espaços públicos quanto privados.

Uma forte motivação para a criação do plano foi o alto número de casos de intolerância registrados no Rio de Janeiro, no ano passado. Pelo menos uma pessoa foi atacada por semana por professar a sua fé, de acordo com os dados do Disque Combate ao Preconceito, da Secretaria Estadual de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos. Além disso, as religiões de matriz africana foram as maiores vítimas da intolerância no último ano, respondendo por mais de 70% cento das denúncias.  

O Conepir terá, entre suas atribuições, contribuir para a definição de políticas públicas destinadas a promover a liberdade religiosa; acompanhar denúncias de violações de direitos relacionadas à intolerância; promover o intercâmbio e cooperação com outras entidades de combate ao preconceito; fiscalizar a aplicação da legislação; promover eventos e publicar trabalhos em defesa da liberdade religiosa.

A primeira dama do Estado Maria Lucia Horta Jardim também marcou presença na ocasião e prestou seu apoio à causa.

“Espero que o Cristo Redentor nos ilumine, proteja e mostre ao ser humano a necessidade da harmonia entre todas as religiões. Nós não vamos superar tantas adversidades sem a harmonia que esperamos construir aqui hoje”, disse.

Ao longo deste ano, a SEDMHI promoverá outras edições do Diálogo Inter-religioso, em diversos templos religiosos do Rio de Janeiro.