Uma missão para um Caboclo

Médium tem como tarefa dada por sua entidade cultivar ervas, além de vendê-las para filhos do axé

Caboclo do médium Darlan lhe passou uma missão. Foto: Reprodução da Internet.

Engana-se quem pensa que a missão de um médium se resume aos limites do axé ao qual ele faz parte. A mediunidade se faz presente no dia a dia do filho de fé, em alguns momentos de forma mais sutil, e em outros, se for preciso, de forma mais incisiva. E foi justamente por influência da mediunidade que Darlan Arruda, de 20 anos de idade, deu início à loja virtual Cantinho do Arqueiro, através de uma fanpage que mantém no Facebook desde agosto de 2017.

Adepto da Umbanda desde os nove anos e filho de Oxóssi com Oxum, o jovem conta que o projeto surgiu e segue sendo levado adiante sob as orientações de um Caboclo com quem trabalha na religião.

“Comecei a trabalhar comercializando ervas, de acordo com as orientações de meu Caboclo, que queria que eu iniciasse esse trabalho com o objetivo de atender a urgência de pessoas que precisassem das folhas em seus rituais”, explica o médium, que atualmente se dedica integralmente ao Cantinho do Arqueiro.

O nome do e-commerce é em referência ao local que Darlan reservou no quintal de sua casa, no bairro Cosmos, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Todo o processo de cultivo das folhas também se dá impreterivelmente sob as determinações da entidade. Entre as espécies estão: Manjericão, Hortelã, Colônia, Levante, Cana do Brejo, além de flores como Íris, Clematis, entre outras.

O jovem também trabalha com a venda de pedras semipreciosas, como Pirita, Hematita, Quartzo, Turquesa, além de cristais, adotando preços acessíveis. Para o carioca, no momento, a loja virtual representa uma missão que a ele foi designada.

Darlan cultiva e vende
ervas utilizadas na Umbanda.
Foto: Arquivo Pessoal.

“Por enquanto, não tenho o lucro como prioridade. O objetivo do Cantinho do Arqueiro é seguir em frente com a missão que foi designada a mim. Quando eu tiver condições, pretendo fazer modificações, desde que haja permissão do meu Caboclo”, esclarece Darlan, que futuramente também pretende abrir um espaço físico para poder atender melhor seu público e conquistar novos clientes.

O incentivo para a comercialização de pedras veio quando, certa vez, no quintal de sua casa, o jovem encontrou alguns desses elementos e, por orientação do Caboclo, foi em busca de fornecedores. A partir de então, o item passou a ser mais uma opção oferecida pelo Cantinho do Arqueiro. Para ele, realizar este trabalho é um verdadeiro presente.

“Eu acho uma coisa grandiosa, um privilégio, faço por amor mesmo. Nunca pensei em trabalhar com o público. É uma experiência nova e quero levar mais adiante”, conclui.

Ao fim da matéria, Darlan recebeu de seu Caboclo (Mata Virgem) uma mensagem de um ponto passado às 18h03, desta terça-feira (20), no Rio de Janeiro, para que viesse à tona.

“Que lindo brado eu ouvi na sua aldeia

Na sua aldeia lá da Juremá

Ele é Caboclo, ele é guerreiro

É seu mata virgem rei do panaiá” 

(Rio de janeiro – 20/03/18 – 18:03).

*Estagiário supervisionado pela jornalista responsável Íris Marini.